A Feira dos Santos de Chaves

A Feira dos Santos de Chaves, considerada a maior feira de rua do país, terá este ano 550 ‘stands’ e espera receber 400 mil visitantes entre quinta-feira e domingo.


“Aumentámos o número de ‘stands’ de 510 para 550 e esperamos receber 100 mil visitantes diários, para além da população residente ao longo dos quatro dias, o que permite ter um impacto económico relevante para a região”, explicou o presidente da Associação Empresarial do Alto Tâmega (ACISAT), Vítor Pimentel.

Para a organização, é “fundamental” que aquela que é considerada a maior feira de rua do país e que se realiza entre quinta-feira e domingo em Chaves, no distrito de Vila Real, evolua sem perder as características tradicionais.

“Queremos manter eventos tradicionais, como o festival gastronómico do polvo, o concurso de gado ou a chega de bois, que é organizada pelos Bombeiros Voluntários Flavienses (que se realizam na quinta-feira), mas teremos outras iniciativas para um público mais jovem”, realçou.

Além dos tradicionais ‘stands’ ao longo das principais ruas da cidade, com venda de artesanato, roupa, calçado, velharias ou produtos alimentares, entre outros, na edição de 2019 uma das novidades é a estreia de uma praça da alimentação.

“Esta estará bem no centro da cidade e será composta exclusivamente com comerciantes de Chaves e da região”, sublinhou.

Juntam-se ainda iniciativas culturais, como animações de rua e de palco, quer diurnas quer noturnas, no Largo General Silveira, no centro da cidade, e também uma “festa dos anos 90”, na sexta-feira à noite.

“Queremos aproveitar a oportunidade de tornar a feira mais contemporânea e voltada para o público jovem. Estamos numa região que está necessitada de gente, de turismo e visitas e a feira é a melhor oportunidade que temos para divulgar a nossa região”, realçou Vítor Pimentel.

Também para divulgar o Alto Tâmega mantém-se pelo segundo ano consecutivo um espaço de ‘stands’ dedicado à região, no qual os vários municípios estarão representados.

Novidade ainda para este ano é o protocolo entre a ACISAT e o município de Chaves prever que a receita seja aplicada no comércio local, ao invés de ser aplicada na iluminação de Natal pela organização.

“Era importante darmos o passo, com a cooperação do município, e o compromisso é que todo o lucro da Feira dos Santos seja aplicado em ações para dinamizar o comércio local, quer em datas festivas, como a Páscoa ou o Natal, quer em períodos mais baixos em que tenhamos oportunidade de atrair pessoas à cidade”, explicou.

Vítor Pimentel lembrou ainda que 80% dos custos da feira são já aplicados na região, procurando fora apenas o que a região não consegue dar resposta, com o aluguer de ‘stands’ ou casas de banho portáteis.

Além dos espaços ao longo das ruas centrais da cidade, onde se vende desde artesanato, roupa, calçado, velharias ou produtos alimentares, o evento conta com iniciativas como a feira de automóveis novos e usados, de máquinas agrícolas ou o ‘stock out: o comércio sai à rua’, durante os quatro dias.

Comentários

comentários

You may also like...