Prisão preventiva para presumível assassino.

António Fidalgo, vai ficar em prisão preventiva enquanto aguarda julgamento. A determinação do juiz ocorreu há momentos após primeiro interrogatório judicial, em Guimarães. O homem que na quarta-feira à noite se entregou à GNR de Braga, após ter, alegadamente, estrangulado a mulher, Ana Paula, em Salamonde, Vieira do Minho.


António Fidalgo à saída da PJ/Braga para ser ouvido em Tribunal. Foto: O MINHO

Manuel António Fidalgo, de 44 anos, motorista de passageiros, que explorava com a sua mulher, Ana Paula Jesus Fernandes Fidalgo, de 39 anos, o restaurante e residencial O Refúgio do Gerês, naquela localidade, já fez saber, através do seu advogado João Magalhães, não ter sido ele o autor da morte da esposa, afirmando que com ela ficou o alegado amante da vítima, um homem mais novo, vizinho do casal, que é industrial de camionagem, já estabelecido naquela mesma freguesia do concelho de Vieira do Minho.

A vítima era natural da freguesia vizinha de Cabril, concelho de Montalegre, no distrito de Vila Real, estava no estabelecimento, que exploravam, situado na Rua Central, junto à Estrada Nacional 103, tendo o marido feito saber, antes de ter sido detido pela PJ de Braga, que depois de umas “estaladas” entre si a mulher se terá cruzado com o suposto amante, pois quando subia uma escadaria para sair de casa, o homem estaria a descer as mesmas escadas, depois de cá fora ter esperado que Manuel António Fidalgo falasse com a mulher. A discussão terá surgido porque o marido terá provas documentais de que seria traído pela esposa.

in: o minho

Comentários

comentários

You may also like...