Ingovernabilidade do século XXI em discussão na UMinho

O Centro de Estudos do Curso de Relações Internacionais (CECRI) da Universidade do Minho promove esta terça e quarta-feira, dias 8 e 9, no auditório A1 do campus de Gualtar, em Braga, os Colóquios de Relações Internacionais, subordinados ao tema “(in)Governabilidade no Século XXI”.

A sessão de abertura realiza-se às 9h30 com a presença da pró-reitora para os Assuntos Estudantis e Inovação Pedagógica, Linda Veiga, do presidente da Escola de Economia e Gestão da UMinho, Francisco Veiga, do presidente da Associação Académica, Nuno Reis, e da representante do CECRI, Ana Beatriz Fernandes, entre outros. Segue-se uma palestra sobre o contributo de organizações internacionais e não governamentais, como a ONU e a NATO, na manutenção da governação nacional e supranacional. Nesta sessão estão previstas as intervenções do deputado Luís Leite Ramos e de Ana Teixeira, que já coordenou projetos da ONG portuguesa Oikos junto de comunidades desfavorecidas.

De tarde decorre o painel “Status Quo da Diplomacia do Século XXI: Problemas, Desafios e Soluções”, que reúne o antigo eurodeputado José Ribeiro e Castro e o professor da UMinho Wladimir Brito, sob moderação de José Palmeira, do Núcleo de Investigação em Ciência Política e Relações Internacionais da academia minhota. O terrorismo, considerado um dos maiores desafios à diplomacia contemporânea, é um dos temas em análise.

Militares falam da sua experiência em missão da ONU

Esta 39ª edição prossegue na quinta-feira, às 9h30, com a palestra “Governabilidade no Espaço”, a cargo do grego Iraklis Oikonomou, um dos principais especialistas em política aeroespacial a nível mundial. É abordado de seguida o fenómeno da cibersegurança, com André Barrinha, da Universidade de Bath (Reino Unido), e Henrique Santos, da UMinho, a refletirem sobre o impacto da evolução das novas tecnologias no quotidiano dos cidadãos e o papel dos Estados na proteção do bem-estar público, entre outros aspetos. Pelas 14h30 é a vez dos militares portugueses Delfim Fonseca e Mariana Duarte partilharem a sua experiência na missão da ONU na Colômbia, além de explicarem como é que Portugal consegue credibilizar a sua atuação internacional.

Comentários

comentários

You may also like...